Maternar e Paternar

O passado está presente: como a infância influencia nossa criação?

Refletir sobre como a infância influencia na criação pode nos ajudar a estar mais atentas sobre como educamos nossos filhos.

Quantas vezes você abriu a boca para falar alguma coisa e ouviu as palavras de seus pais? Você não está sozinha, isso acontece com muita gente. Isso pode te mostrar como a infância influencia a criação e como é importante se dar conta disso para moldar a sua relação com seu bebê.

Assim como você é a primeira professora do seu filho ou filha, seus pais foram os seus primeiros professores. Dessa forma, s coisas que eles disseram e fizeram, a maneira de ser e se relacionar com os outros, formaram as bases para muitas das crenças, valores e atitudes que você tem hoje. Poucos pais e mães (se é que algum) tinham um “plano de aula” na cabeça. A maioria foi transmitindo informações para seus filhos através das interações cotidianas. Você captou essas mensagens sutis, e às vezes nem tanto, e isso influenciou como você pensa sobre si mesma e sobre o mundo ao seu redor.

Os pais normalmente re-criam com seus filhos as experiências que tiveram com seus próprios pais. Por exemplo, um pai leva seu filho para pular em poças de chuva porque essa atividade traz lembranças que ele teve com seu pai. Outros, entretanto, tentam fazer o oposto que seus pais fizeram: nunca insistir que seu filho faça algum esporte porque seus pais o forçaram a fazê-lo; ou expressar muitos gestos de carinho porque sua mãe raramente o fazia.

Mas mutias vezes nós repetimos os gestos de nossos pais – e crenças e valores e experiências – sem nem mesmo nos darmos conta. O limite de nossa paciência, a forma como criamos meninos ou meninas, as reações para brigas entre irmãos, a forma de disciplinar – tudo isso é feito com base nas nossas próprias experiências durante a infância.

Reflexões sobre a infância e a influencia na criação das crianças

Refletir sobre nossa própria infância pode nos ajudar a estar mais atentas nos significados por trás de nossas reações junto a nossos bebês:

  • Como eram as mensagens sobre beleza, inteligência, habilidades, valores, que você recebia quando criança?
  • Essas mensagens exercem alguma influência na forma como você cria seus filhos hoje?
  • De que formas você acredita que seus pais tiveram um impacto positivo em você – você gostaria de repetir com seu filho?
  • Existe alguma atitude dos seus pais que você não gostaria de repetir com seus filhos?
  • Algum evento ou experiência significativa de sua infância reflete diretamente na forma como você se relaciona com seu bebê?

Enfim, refletir sobre essas questões pode mexer com fortes emoções. Por isso é importante para você conversar sobre elas com seu companheiro, uma amiga de confiança ou até mesmo um profissional. Essa atitude pode ter um impacto positivo, “desempacotando o passado” para beneficiar o futuro do seu filho.

Para conferir mais posts sobre paternar e maternar, basta clicar aqui.

Fonte: Claire Lerner, Zero to Three

COMPARTILHAR

conteúdo por

Post anterior
5 lições sobre maternidade para compartilhar com uma grávida
Próximo post
Como ajustar a fralda ecológica no bebê?

Leia também

Nenhum resultado encontrado.