Consumo Consciente

4 dicas para um enxoval mais sustentável e consciente

Precisamos repensar o enxoval sempre se perguntando: o bebê precisa de tudo isso? Aproveite essas dicas para simplificar e economizar com seu enxoval.

Depois do “deu positivo”, “é menino (a)” ou “o bebê está chutando” chega a hora de pensar numa das partes mais divertidas da gestação: preparar o enxoval.

Para muitas mães (e avós, e tias, e amigas, e primas, e vizinhas, e tias da amiga da prima…) a primeira ideia é convidar o máximo de gente possível e ganhar o maior número imaginável de fraldas, roupinhas, presentes, lembrancinhas, cacarecos…

Um passeio rápido na Internet e você já começa a surtar com a quantidade de coisas incrivelmente fofas, muitas novidades e um outro tanto de coisas que em um primeiro olhar parecem indispensáveis. Mas – e respire profundamente, por favor – o bebê precisa realmente de tudo isso?

Um enxoval sustentável precisa ser consciente

Se de um lado pipocam por todos os cantos (dos posts no Instagram às propagandas no YouTube) produtos e serviços que parecem ser imprescindíveis para qualquer gestante ou mãe, por outro é cada vez maior o número de mulheres que têm aderido a uma linha mais consciente de pensamento. É é disso que vamos falar aqui.

Essa mudança na concepção do enxoval e, de forma mais abrangente, no papel da maternidade, é uma consequência de reflexões sobre o consumo e descarte exagerado. No princípio dessa reflexão surgem algumas perguntas como: eu preciso mesmo de oitenta e três bodies ou quarenta e cinco meias de crochê? O crescimento do bebê irá esperar para “estrear” cada roupa nova? E depois, com as roupas usadas pouquíssimas vezes, terei para quem repassar o que ganhei?

Com opções duráveis e de baixo impacto no ambiente, fazemos do consumo consciente e sustentabilidade a razão de ser das fraldas Nós e o Davi. Mas, para além das fraldas, queremos convidá-la a repensar um pouco a lista infinita de enxoval que vemos por aí.

Por isso, trouxemos algumas sugestões de produtos e serviços que realmente vão fazer a diferença na sua nova vida de mãe.

1) Fraldas ecológicas (como não poderia deixar de ser)

Ao longo de toda a “vida fraldada”, o bebê pode chegar a utilizar mais de 5 mil fraldas descartáveis. Já parou para pensar o que isso significa em dinheiro? A gente já. Inclusive, temos um post completo explicando essa matemática. Mas em resumo, um bebê que use fraldas até dois anos e meio vai gastar mais de R$ 4.800 em fraldas descartáveis (que vão para onde? Para o lixo).

Você pode até argumentar, dizendo que pode ganhar a maioria delas no chá de fraldas. Mas e se repensar essa conta, e trocar o pacote de fraldas descartáveis do chá por uma fralda ecológica? Quando seu bebê nascer, você terá fraldas suficientes até o desfralde.

Uma opção bastante inteligente para quem não quer “ser radical” é mesclar o uso das fraldas ecológicas com as fraldas descartáveis. Assim, você pode reduzir em até metade o seu gasto. Veja aqui quanto você pode economizar utilizando o as fraldas ecológicas somente em alguns momentos.

Quem quer adotar as fraldas ecológicas normalmente fica em dúvida sobre quantas fraldas são necessárias. É por isso que temos nosso Kit Enxoval Completo, dá uma olhadinha clicando aqui!

Mas se você quiser entender a conta, aqui vai nossa sugestão:

  • 8 Fraldas AIO (Já vem com os absorventes costurados)
  • 16 Fraldas Ecológicas
  • 4 Absorventes para Fluxo Intenso
  • 10 Absorventes para Fluxo Leve
  • 10 Absorventes de Reforço

Quer adotar parcialmente esse estilo de vida? Esse post de blog vai te ajudar a se planejar:

LEIA TAMBÉM: De quantas fraldas ecológicas eu preciso?

2) Artigos de Higiene

Pensando no enxoval básico de seu filho, seguem algumas dicas de artigos de higiene que podem ser repensados:

Não precisa: pomadas

Uma das principais vantagens da fralda ecológica é que ela raramente irrita a pele do bebê. A fralda descartável é feita de plástico e costuma ter químicos (perfumes, por exemplo). Quando ela está com xixi ou cocô, além de irritar o bebê, ela pode machucar sua pele. Para evitar isso, é comum usar pomadas anti-assaduras e hidratantes.

Então, se você optar pela fralda ecológica, pode excluir a pomada de sua lista de enxoval. Aliás, elas são proibidas junto com as fraldas de pano, pois prejudicam o desempenho de absorção do tecido. 

Mesmo que você continue utilizando fralda descartável, o uso da pomada pode ser feito com consciência. Em geral, bebês trocados com frequência (no máximo a cada 4 horas) raramente desenvolvem assaduras. Além do mais, o uso frequente de pomadas torna a pele do bebê mais sensível, e dessa forma cada vez mais dependente das tais pomadas.

Vamos começar diferente? Experimente utilizar pomadas somente quando a pele do seu bebê pedir. Em vez de pomada, você também pode utilizar amido de milho (sim, a boa e velha caixinha amarela), é tiro e queda contra assaduras!

Não precisa: lenço umedecido (troque por algodão)

Especialmente nos primeiros meses de vida, o lenço pode causar irritação na pele do bebê, que ainda não está acostumada com produtos químicos. O algodão molhado é uma ótima alternativa (e bem mais econômica).

Atenção: sabonete líquido

Nos primeiros dias, não é recomendado lavar o bebê com qualquer tipo de sabonete. A pele ainda é protegida com o vérnix do nascimento, e ele é importante para a saúde do bebê. Após cerca de 3 semanas você já pode começar a utilizar sabonete líquido.

Dica da Vida Materna: Algumas razões para adiar o primeiro banho do bebê

Evite cheiros muitos fortes. Existem no mercado empresas que produzem sabonetes e óleos totalmente naturais, que tal optar por uma dessas? A pele e a saúde do seu bebê agradecem.

Outros itens que seu bebê realmente não precisa:

  • Colônia com cheirinho de bebê (o que pode ser melhor do que o cheirinho natural do seu bebê?)
  • Talco (inclusive não é recomendado, pois pode ser aspirado pelo bebê)
  • Shampoo e condicionador
  • Hidratante

3) Objetos utilitários

Organizadores

Esqueça aquele “kit higiene” que as lojas garantem ser extremamente útil. Além de caro, ele pode tranquilamente ser substituído por cestinhas personalizadas e uma garrafa térmica comprada à parte.

Chaleira elétrica/garrafa térmica

Muito úteis, especialmente nos primeiros dias e principalmente se você optar por não utilizar lenço umedecido.

Sling ou outro carregador ergonômico

O seu sling vai se tornar o seu melhor amigo, acredite. Muito mais do que te ajudar a carregar o bebê, ele é um calmante natural para o bebê (e para a mãe 😂), fortalece o vínculo com os cuidadores (olá, papai e vovó) e permite que se faça mais de uma coisa ao mesmo tempo, como comer, cuidar da casa, atender ao telefone…

Dica da MamaÉ me Mima: Usos errados, prejudiciais e perigosos do sling ou portabebê

Balde

Não, não estamos falando de um balde para colocar roupas de molho ou as fraldinhas do bebê. Um balde grande pode ser seu maior aliado na hora de acalmar o bebê. É o famoso banho de balde, ou ofurô para bebês. Dentro dele, o bebê se sente de volta ao ambiente uterino, o que lhe dá sensação de segurança e tranquilidade. Além disso, o balde pode tranquilamente substituir a banheira nos primeiros meses.

Dica do Guia do Bebê: Banho de balde para os pequeninos

Outros itens indispensáveis

  • Cortador de unha ou tesourinha
  • Fraldas de algodão (elas têm 1.001 utilidades)
  • Termômetro (você não vai querer precisar dele, mas é melhor tê-lo)
  • Cueiros (eles têm 10.001 utilidades)

Itens que você pode pensar duas vezes antes de comprar

  • Carrinho de bebê: acredite, de posse de um bom sling, talvez você não precise imediatamente ter um carrinho. É uma compra que pode ficar para depois. Ou, quem sabe, esperar algum amigo ou parente desapegar de seu carrinho?
  • Banheira: se você se adaptar bem ao balde, pode substituir tranquilamente a banheira por ele. Após cerca de um mês de vida (alguns antes, outros depois), já é possível tomar banho de chuveiro com o bebê no colo! Acredite, é transformador! Depois que vocês passarem esse momento juntos (você ou o pai do bebê) nunca mais vão querer abrir mão!
  • Berço: a cama compartilhada é uma bênção para quem pretende amamentar por bastante tempo e preza por seu sono. Dormir juntinhos permite que a família inteira tenha uma noite tranquila de sono, e você vai amamentar a noite inteira sem perceber. Não estamos aqui propondo que você abandone o berço de vez, mas que tal acoplá-lo à lateral da cama, para deixar mais espaço para todo mundo?  Dica do Paizinho: Cama compartilhada – os 5 grandes mitos
  • Quarto decorado: pelo motivo exposto no item anterior, pode ser que o quarto do bebê seja o lugar menos visitado da casa. Você pode investir esse dinheiro em outras questões mais úteis, como por exemplo ser acompanhada por uma doula, uma doula pós-parto ou uma consultora de amamentação.

4) Faça girar a roda do bem!

Antes de sair comprando o enxoval desenfreadamente, que tal aguardar a roda do bem chegar até você? Quando alguém anuncia que está grávida, rapidamente começam a surgir ofertas de roupinhas de outros bebês, que deixaram de servir e estão novinhas. Uma dica valiosa é deixar para comprar somente no final da gestação, quando você puder contabilizar o que realmente falta. Depois, não esqueça de passar as roupinhas e utilitários do seu filho para outros bebês!

Sentiu falta de alguma dica? Não deixe de comentar!

// Esse texto foi originalmente publicado em 9 de maio de 2017 e atualizado pela última vez em 17 de janeiro de 2019.

COMPARTILHAR

conteúdo por

Post anterior
Camisetas com proteção solar funcionam mesmo?
Próximo post
Minhas fraldas ecológicas chegaram. E agora?

Leia também

Menu