Encontrei um verme no cocô do bebê. E agora?
Maternar e Paternar

Encontrei um verme no cocô do bebê, e agora?

Importante: caso seu bebê apresente algum dos sintomas descritos nesse artigo, procure um pediatra. Somente um profissional pode diagnosticar e orientar você para ter um tratamento eficaz.

Não pode ler agora? Ouça clicando no player:

Não há motivos para preocupações!

Você, provavelmente, descobriu o motivo da irritabilidade, falta de apetite ou perda de peso, e das noites mal dormidas do seu filho. Isso não quer dizer que estes sintomas sejam sempre vermes, e na maioria das vezes não é, ok?

Neste momento, o helminto não é infeccioso: nem ele, nem seus ovos. A maioria deles apenas torna-se infeccioso após um amadurecimento em ambiente favorável (geralmente na terra, pois depende dela para o seu ciclo de vida).

O tratamento é fácil e a higienização só deve ser redobrada neste período.

É importante lembrar que é mais comum em torno dos 5 anos, que é a idade pré-escolar, na qual a criança já não usa mais fraldas. Porém, crianças de 0 a 3 anos que frequentam creches também podem ter.

“E agora, o que faço com este verme?”

Provavelmente, será solicitada a requisição médica e, com a sua amostra preservada por em torno de três dias, dará tempo de seguir os próximos passos. Consulte com o pediatra para que ele avalie o quadro e prescreva o exame mais adequado. Pode ser necessário realizar uma nova coleta para outros exames. Nessa nova amostra, o verme pode não aparecer, por isso é importante guardar o primeiro.

Como higienizar as roupas, lençóis, as fraldas e o ambiente?

Com uma solução de vinagre 12% (120 ml/ litro de água) e sabonete líquido neutro 1,2% (12 ml/ litro de água), deixe as roupas, lençóis, e fraldas de molho por 10 minutos nessa solução. Após esse tempo, lave bem e repita. Também pode passar um pano com essa solução pelo ambiente.

O vinagre 12% pode ser substituído por 20 gotas de água sanitária para 1 litro de água.

Vermes: o que são?

A Ascaris lumbricoides ou lombriga. Fonte: Frederick W. Dubs, RBP ©Johns Hopkins University Baltimore, MD

Alguns vermes podem ser vistos a olho nu e possuem formas e tamanhos diferentes, mas os seus ovos e larvas só são vistos no microscópio, assim como os protozoários que é outro tipo de verme unicelular, como a Giárdia.

No Brasil, cada região possui um perfil populacional diferente e  a presença de vermes em crianças também é diferente. Os helmintos mais comuns, na idade pré-escolar e escolar, são Ascaris lumbricoides, a lombriga, e Trichuris trichiura, variando de acordo com as regiões do país, podendo ocorrer tanto em zonas urbanas como rurais. Já a Giárdia é a doença por protozoários mais comum.

O que fazer para não pegar vermes?

Nas verminoses, os fatores relacionados ao tipo de parasita e as condições de saúde da criança são fundamentais, como por exemplo: a idade, a imunidade, os hábitos alimentares e o uso de medicamentos.

Esses fatores vão determinar o início ou não de uma infecção parasitária. Sendo assim, é importante que se tenha hábitos de vida saudáveis e um ambiente propício para o desenvolvimento imunológico da criança.

Na maioria das vezes, a disseminação parasitária se dá através de água, solo e alimentos contaminados. Também é possível uma contaminação fecal-oral ou cutânea.

As helmintoses podem não produzir sintoma algum quando a infecção for leve. Em casos de infecções mais graves, podem desenvolver sintomas como: dores abdominais, fraqueza, mal estar, diarreia, desnutrição e anemia.

Outras medidas de prevenção

Para a prevenção de parasitoses intestinais recomenda-se, de acordo com o Manual de Acompanhamento da Criança da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo:

  • Amamentar exclusivamente até os seis meses de idade, e complementado até os dois anos de idade ;
  • Higienizar de maneira adequada os utensílios utilizados na alimentação das crianças, proteger os utensílios de poeira e insetos ;
  • Lavar bem as frutas e verduras, ingerir água clorada, filtrada ou fervida. Não ingerir água e alimentos de fontes duvidosas;
  • Consumir carnes bem cozidas;
  • Manter o domicílio sem insetos como moscas, baratas, pulgas;
  • Proteger os alimentos de poeira e de insetos;
  • Não levar dedos ou objetos à boca e cuidar da higienização das unhas;
  • Lavar as mãos antes de manipular alimentos e após utilizar o banheiro;
  • Depositar as fezes humanas em locais adequados e não utilizá-las como adubo.

Como é o tratamento para vermes?

O tratamento é feito com antiparasitários e pode ser complementada com medidas naturais e reposição da flora intestinal. As medidas profiláticas são também indispensáveis.

Não faça uso de antiparasitários sem a realização do exame parasitológico de fezes. Para o tratamento de diferentes parasitos é necessário utilizar diferentes antiparasitários em diferentes concentrações. Consulte sempre o pediatra.

Os parasitas intestinais alteram a flora intestinal e, frequentemente, se proliferam quando esta não está equilibrada. Por isso, convém utilizar probióticos para recompor a flora intestinal e prevenir o ataque de parasitas.

Post originalmente publicado em abril de 2017 e atualizado em outubro de 2020.

COMPARTILHAR

conteúdo por

Post anterior
Primavera, seja bem-vinda!
Próximo post
Conheça a magia do Bosque Encantado

Leia também

Nenhum resultado encontrado.

Menu